Lula Pena
Lula Pena
Música
music
Portugal
Portugal
© Buddy Hires
Lula Pena, nascida e criada em Lisboa, é uma portuguesa cosmopolita: uma mulher do mundo! Poeta-cantora, mulher misteriosa que se esconde atrás do violão para nos surpreender da melhor maneira. Uma voz única e profunda, inspirada em várias referências, tocando com bordas e com os poetas ninhos. Seu primeiro álbum, Phados, lançado em 1998, ganhou seu reconhecimento imediato. A voz profunda, comandante, mas sensível; a mescla natural de raízes de fado com cores da música folclórica portuguesa, chanson française, morna cabo-verdiana, bossa nova brasileira; a entrega despojada de voz e violão; todos anunciaram a chegada de um grande talento novo. E, de repente, ela desapareceu novamente, reaparecendo cerca de 12 anos depois com o lançamento de seu segundo álbum, Troubadour, uma coleção de histórias de paixão e dor que espelham a sua jornada pessoal como música existencialista e poeta casual. Nos últimos anos, ela permaneceu tranquilizadora, atuando em Cabo Verde, Brasil, Chile e em toda a Europa, aparecendo ocasionalmente em dupla com o multi-instrumentista da Guiné-Bissau, Mu Mbana, ou o saxofonista da Nova Zelândia, Hayden Chisholm, mas geralmente, a solo e no seu próprio tempo.
Lula Pena, born and raised in Lisbon, is a Portuguese cosmopolitan: a woman of the world! Poet-singer, a mysterious woman who hides behind the guitar to surprise us in the best way. A unique and deep voice, inspired by several references, playing with borders and with the nests of poets. Her first album, Phados, released in 1998, gained immediate recognition. The deep, commanding, but sensitive voice; the natural blend of fado roots with colours of Portuguese folk music, chanson française, Cape Verdean morna, Brazilian bossa nova; the stripped-down delivery of voice and guitar; all announced the arrival of a great new talent. And suddenly, she disappeared again, reappearing about 12 years later with the release of her second album, Troubadour, a collection of stories of passion and pain that mirror her personal journey as an existentialist musician and casual poet. In recent years, she has reassuringly remained, performing in Cape Verde, Brazil, Chile and across Europe, occasionally appearing in a duet with Guinea Bissau multi-instrumentalist Mu Mbana or New Zealand saxophonist Hayden Chisholm, but usually solo and in her own time.
© Buddy Hires
Projeto
Project